quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Proteção...


Escute enquanto lê


Li uma vez em um livro que a marca mais frequente que as pessoas deixam em nós são cicatrizes, mas eu nunca pensei que você estaria incluso nessa estimativa. 
Essa ferida que se abriu em meu peito, ainda sangra e está longe de cicatrizar.
Então eu concluo agora: a única marca que você deixou em mim, foi uma ferida inflamada, dolorida e totalmente exposta. 

Você falou que esse é o caminho mais seguro. Que caminhar por ele é a forma mais fácil de ninguém se machucar. Mas você não percebe? Machucada eu estou agora, enquanto te vejo acenar o adeus que só cabe a Deus marcar. 
Depois de tanto tempo, quando eu realmente pude acreditar no amor, a vida me golpeou com chutes no estômago. Estou até agora tentando encontrar o ar. As lágrimas descem como nascente pelas maças do meu rosto. Não é fácil reaprender a respirar.

Proteção...

O câncer se colocou entre nós. Sabia que ele matou a mim, antes mesmo de conseguir matar você? Ele levou consigo as certezas que eu tinha de que dessa vez eu seria feliz. Mas não foi seu câncer que matou meus sonhos. Foi você. Você não acreditou em nós.
E ser feliz exige um tanto de acreditação. Não é a toa que felicidade, começa com "Fé".

Proteção... Sim. Seu eterno discurso.

As suas tentativas de me proteger do que que acontecerá no futuro são em vão. Já parou para pensar que você não pode me proteger da dor que eu sinto agora? 
Eu entendo. Sei que você está assustado. Sei que os tratamentos não são fáceis e que às vezes quem está ao redor, sofre mais do que o próprio portador da doença. 
Mas eu queria que você me quisesse ao seu lado. Eu queria fazer dos seus "últimos momentos" os mais felizes possíveis. Eu queria que você tivesse fé. Fé em você. Fé em mim. Fé no meu amor.
Eu quero tornar feliz, os seus dias sem esperança. Eu quero segurar a sua mão quando você achar que não vai mais aguentar. Eu quero te abraçar, quando, durante a noite, você não conseguir dormir. Eu quero transformar em infinito os seus pequenos dias marcados. 

Eu não quero prolongar a sua agonia, mas eu queria que você pudesse sentir o meu coração. Ele tem sangrado todos os dias, desde o nosso último dia juntos. 
EU SEI, EU SEI, a bendita PROTEÇÃO. Desculpa eu já estar gritando e chorando nesse momento, mas é que eu não consigo compreender, de nenhuma maneira, que proteção é essa que me priva de estar ao lado daquele que eu mais amo e que eu já amei em toda a minha vida. É impossível proteger aquilo que já foi penetrado. 
Sentimentos não podem ser controlados. Infelizmente, não existe um botão "liga/desliga' no meu sentir. E a única coisa que me curaria agora, seria saber que você me ama tanto, ao ponto de me desejar ao seu lado, ainda que amanhã ou depois, você se torne apenas um capítulo em minha vida. 


Eu te amei quando ainda era uma menina e você meu professor, e muitos anos depois, o universo (ou porque não Deus?) nos uniu. 
Porque ao invés de tentar me proteger, você não me deixa te amar? Eu sei que eu posso fazer isso. E eu te garanto, não haverá arrependimentos em mim. 
Deixe-me contar-lhe um segredo? 
Um dia, todos nós iremos morrer, sobretudo, morre um pouco a cada dia aquele que não descobre o que é amar. 



Texto inspirado na história de amor de uma leitora que não deseja ser identificada,
Obrigada pela confiança, A.L. 

"Falam que o tempo apaga tudo. Tempo não apaga, tempo adormece."
Raquel de Queiroz

Música: Speeding Cars - Walking on Cars

Alessandra Rocha 

Nenhum comentário:

Postar um comentário